quinta-feira, maio 25, 2006

Nasci, cresci e sempre convivi com gatos, sempre tive pelo menos um gato, mas também já aconteceu ter duas gatas com ninhada de 1 semana de diferença...que perfez ao todo 11 gatos...dessa ninhada apenas fiquei com um, dos restantes alguns foram adoptados por pessoas de confiança, e outros entregues numa loja de animais que os receberam com todo o carinho!
Pois é os gatos sempre fizeram parte da minha vida, e gostava de partilhar convosco as historias dos meus meninos que passaram pela minha vida......


Quando nasci, era ela que saltava para cima do meu berço levando um a um dos seus filhotes entre os dentes, quando a minha mãe não estava a ver e se enroscava mesmo em cima da minha fralda de pano, cuidava de mim como cuidava dos filhotes lambendo-me vezes sem conta a roupinha, falo da Nini, a minha primeira gata, era uma gata cinzenta com um pelo enorme, tinha um ar doce e meigo, pachorrenta a sua maneira e de uma grande personalidade! Passado dois anos infelizmente morreu!
Dessa ninhada, os meus pais decidiram ficar com dois gatos, o Cuki e a Xininha (diminutivo de bichaninha), o Cuki era um gato enorme cheio de vida, muito meigo, um verdadeiro galã felino, não havia gata das redondezas que resistisse aos seus encantos, a Xininha por sua vez tornou-se numa gata pouco dada a família, passava os dias na rua ate que chegou ao dia em que desapareceu, andou meses desaparecida....até que um dia enquanto eu brincava no quintal da minha casa ouvi um miar estranho, vinha do lado do galinheiro...quando me aproximei vi um gato assanhado que saiu a correr, nos dias seguintes voltei a ver esse gato inúmeras vezes ate que quando finalmente me consegui aproximar reparei que era a Xininha! Tinha-se tornado numa gata vadia e assanhada, aos poucos fui tomando a confiança dela, no sitio onde ela costumava ficar junto ao galinheiro comecei a por agua e comida, mais tarde coloquei uma camisola minha, usada já velhinha, deixando a cada dia que passava apontamentos da minha presença... o primeiro dia que ela deixou chegar perto tive um belo presente, uma valente dentada e meia dúzia de arranhadelas....mas não mostrei medo, nem fiz movimentos bruscos para que não se sentisse ameaçada, apenas virei costas e vim embora....a Xininha começou a chegar-se mais perto de casa ate que finalmente voltou sem dar muitas confianças! Chegou ao dia que engravidou (ou emprenhou como se diz), fizemo-lhe uma caminha para ela estar.....e ter os bebes...um dia quando saiu de perto dos seus bebes para ir fazer o xixizinho a rua, a meio da noite a minha mãe ouviu miar...mas a janela estava aberta....quando se dirigiu a janela e puxou a Xininha para dentro a gata estava da barriga para baixo completamente desfeita, foi uma visão macabra....quem teria feito aquilo? Não, não podia ter sido atropelamento...a verdade é que aqui se vê a força animal, mesmo a morrer voltou para perto dos seus filhos....na manha seguinte já estava sem vida!
Quanto ao Cuki...bem era o senhor da boa vida.... um dia também lhe passou pela cabeça fazer uma migração de um ano, voltou sim como diz a minha mãe...parecia o Mike Tyson, mas neste caso era a ele que faltava um bocado da orelha... veio com falinhas mansas para voltar para casa e assim foi ate morrer com 10 ou 11 anos de idade...adoeceu e desapareceu, pois fora o caso da Xininha, os gatos morrem longe dos seu entes queridos para não lhes causar sofrimento!
Pouco tempo após a morte do Cuki, ao passar por um caixote do lixo dentro de um saco plástico encontrei um gatinho, todo preto, não devia ter mais que 2 semanas, uma maldade (put.. das superstições), levei para casa e cuidei dele, passado 2 meses morreu de Epilepsia!
Um amigo meu ao saber da morte do gatinho ofereceu-me uma gatinha pequenina ai com uns 3 meses, eu sem saber que os meus pais não queriam mais animais levei-a para casa....a conversa dos meus pais foi a seguinte...” Amanha vais devolver a gata, não queremos mais animais....”, escusado seja dizer que nessa mesma noite a o meu pai adormeceu com a gata a lamber-lhe a barba, era a preciosidade ca de casa...Chamava-se Preta, os anos passaram ate que ela teve um caso amoroso com um gatão amarelo e laranja que andava a pavonear-se pelos muros, e dai nasceu uma ninhada de 4 gatinhos, apaixonei-me por um...um Garfield em ponto pequeno, olhos enormes e era o maior deles todos mas o mais fofinho, fiz a choradinha aos meus pais para que ficássemos com ele, e assim foi (os restantes foram dados a amigos e conhecidos), o nome dele era Ruivinho, de facto um Garfield de carne e osso e bigodes e tudo....comia, dormia, comia, dormia, la de vez em quando dava umas lambidelas da higiene pessoal, comia dormia, ninguém o tirava ou da cama ou sofá! Ainda era o Ruivinho pequeno e um amigo da minha mãe ofereceu-nos um cãozinho pequenino, o Putchi, era um Cão D’água, gato e cao cresceram juntos, eram inseparáveis....a quem conto isto pessoalmente quase não acredita...mas a verdade e que consoante foram crescendo (o Ruivinho engordando cada vez mais), o cão começou a mamar no gato, um não se deitava sem o outro se deitar, um ia comer o outro ia atras....
Um dia o Putchi apanhou Parvovirose, e morre....o Ruivinho que nunca saía de casa aparece 2 dias depois atropelado na estrada!!!
Entretanto a Preta voltou a engravidar e ficamos com o Enka, mas dessa vez as coisas não foram fáceis o parto deu problemas... e tivemos de lhe tirar o útero, uma data de dinheiro...dois mêses após a operação apareceu envenenada!
Quando mudei de casa o Enka veio connosco, entretanto um amigo da minha mae tinha uma gata, o facto de andar sempre a mudar de casa dificultava-lhe o poder cuidar dela e deu- a Putibu (nome que significa pequena laranja, em chinês)!
Enka adoeceu há cerca de 4 meses infelizmente as possibilidades financeiras não eram as melhores para o levar de imediato ao veterinário, desapareceu há um mês, fez o mesmo que o Cuki, não nos queria ver sofrer...
A Puti ca anda agora com o stresse da chegada do calor, a queda de pelo, e os gatos que não a largam, mas ela é uma “Senhora” de personalidade forte, damo-lhe a pílula e de maneira alguma os gatos se chegam perto dela....o seu passatempo preferido e enfiar-se de noite na minha cama e com um ronronar cheio de mimo lamber-me o pijama.

Tive de encurtar muita coisa, pois há 20 anos que passam gatos pela minha vida, e se hoje oiço um gato a miar já sei o que esse miar quer dizer...o simples olhar para eles já sei se são felizes, e algo inexplicável...sente-se e pronto!
Desculpem a extensão do texto mas teve de ser.

E para quem não gosta de gatos apenas tenho esta imagem e uma frase adequada:


“Quem odeia gatos é porque foi rato em outra encarnação!” hehehe

Beijos, Beijinhos e Beijões

P.S.-Ai sara sara... te garanto que vais pagar isto bem caro, seja com o corpinho seja com o que for, vais fazer valer esses beijos, beijinhos e beijões em sitios k depois te direi... sim que aqui o ritchie já meteu o simão a dormir na rua k tão depressa nao kero ouvir falar em gatos depois de te ter postado este texto. beijos minha linda

4 Comments:

Blogger Ritchie said...

Quer dizer...ta uma pessoa a editar o texto para o publicar no blog da menina até ás três da manha pois a sua net ficou de travadinha, no outro dia levantei-me ás seis e trinta e NÃO HÁ QUEM COMENTE...ORDINÁRIOS, INVEJOSOS, RATOS DE ESGOTO e gentinha pindérica.
ai amiga, é que não há respeito, não há respeito, só te digo!!!
seja como for. Pussycats forever, os animais e as dolls hehehehehe.
beijinhos querida e uma lambidela do meu simão.

sexta-feira, maio 26, 2006 12:18:00 da tarde  
Blogger Fénix said...

A minha mãe nunca me deixou ter animais, mas quando comecei a morar sozinho também tive gatinhos… Tive 3, o Bambi (não vou explicar a razão do nome), a Leo e o Buggy. Pois, também tive umas desgraças com os meus gatinhos… A Leo era má comas as cobras e fugiu… Nunca mais a vi… O Bambi bem gostava de vadiar de vez em quanto, mas um dia adoeceu com uma infecção urinária e em dois dias morreu… (Levei-o ao veterinário e de nada resultou), e o Buggy foi uma adoção que fiz de um gatil. Era um gato já velhinho e muito meigo. Tinha problemas de coração e foi isso que o levou… Mas este ultimo foi inesquecível… So passava bem a noite debaixo dos lençóis com o dono. Muitas vezes acordava de manha, era só virar a cara para a direita e enterrava o nariz no pelo branquinho do Buggy. ;o) Agora não tenho animais, nem quero tão cedo… O desaparecimento deles dá muito desgosto...
Jokas!

sexta-feira, maio 26, 2006 4:52:00 da tarde  
Blogger Pekita said...

Eu não fui rato de certeza! Ou entao fui um rato k pensava k era gato lolol é possivel com as pancadas k tenho lol
Tb eu sp tive animais, inclusive gatos k sp foram o meus preferidos...houve uma altura k kiz ter uma pantera negra(pk alem dos gatos, gostos dos felinos em geral) mas a minha mae n deixou lolol
Mas pronto, tenho o meu gatão...o meu lord Lupin e é lindo e eu adoro-o e ele adora-me e somos mt felizes lolol

Beijinhos*

sábado, maio 27, 2006 2:28:00 da tarde  
Blogger Antonio Melenas said...

Olá Sara
Finalmente voltei a poder ver o teu blogue em condições
Então, paraste nos gatos? Cadê essa inspiração?
bjs
António

quarta-feira, junho 07, 2006 3:42:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home