domingo, abril 30, 2006

Normal? Paranormal?

Bem agora para mudar um pouco o rumo dos assuntos que tenho vindo a falar, vou tentar nas próximas entrys falar-vos de um grande interesse que eu tenho relativamente a assuntos místicos, o paganismo (bruxaria), o paranormal, o oculto e por aí fora, de modo a poder convosco abrir em cada entry um género de um debate, pois trata-se de assuntos muito polémicos e por vezes até perturbadores para algumas pessoas, assim sendo gostaria que me dissessem, se acreditam, se não acreditam, que fundamentassem o assunto para eu assim poder fazer um género de “estatística” (com ideia numa ultima entry sobre o assunto)!

Para abrir esta nova pagina comecemos como é normal.....pelo principio! Começo por deixar aqui um questionário de 10 perguntas que gostaria que respondessem com a máxima sinceridade, pois daqui em diante eu irei seguir uma ideologia um pouco céptica em relação aos assuntos, deixando somente no final de cada entry a minha opinião relativamente a cada assunto! Espero que se divirtam e matem alguma curiosidade que daqui possa surgir!

Questionário

1. Já alguma vez tiveste alguma experiência com aparições paranormais? (Fantasmas, Espíritos, Poltergeist’s, etc)

2. Caso nunca te tenha acontecido, conheces alguém, ou acreditas na possibilidade de tal acontecer? (Não tens que mencionar nomes!)

3. Acreditas na telepatia? (isto é, que algumas pessoas conseguem “ler” os pensamentos dos outros)?

4. Acreditas que os extraterrestres existem, e que visitam o nosso planeta?

5. Acreditas na astrologia, numerologia, ou qualquer tipo de ciência oculta?

6. Acreditas na cura espiritual, medicina alternativa, e no seu poder de curas em doenças graves?

7. Acreditas na Mediunidade? (pessoas que recebem espíritos dentro de si)

8. Acreditas na vida pós morte?

9. Acreditas em viagens astrais? E que todos possuímos uma alma (chamado corpo astral), que se despega do corpo físico?

10. Tens a certeza que tudo o que respondeste, corresponde a tua verdade ou será uma maneira de te negares a ti mesmo/a?

Voltarei a colocar o questionário mais tarde para perceber ate que ponto estas convicto do que acreditas ou não!

Algumas pessoas acreditam que são “psíquicas”. Afirmam terem poderes especiais e capacidades espantosas. “Consigo prever o futuro”, “Recebo mensagens de pessoas que já morreram.”, ”Consigo dobrar colheres com a força da mente”, “Curo pessoas com um simples toque de mãos”....estes são alguns exemplos de capacidades que não são normais , são sim Paranormais (palavra que significa “ para la do normal”). Mas será que estas pessoas possuem de facto poderes paranormais? Ou haverá outra forma de explicar aquilo que fazem (algo que a ciência ainda não conseguiu descobrir)? Estas são algumas das questões que gostaria de partilhar convosco nesta busca...ao desconhecido!

Irei aprofundar um pouco os assuntos de modo a não aplicar ou induzir a minha opinião sem ser no final dos textos....o que vai ser um desafio para mim, pois eu de céptica não tenho nada...ate pelo contrario...há muito em que acredito e não acredito por acreditar, acredito pois tenho as minhas ideologias, e as minhas conclusões e explicações para cada situação...

Hoje fico por aqui....esperem pelos próximos capítulos...=P

Beijos, Beijinhos e Beijões

sexta-feira, abril 28, 2006

Solidão

Quantos de nós já não tivemos este pensamento....” O que será de mim se ficar só no mundo?”.

È algo que por vezes me atormenta, eu tenho horror á solidão, só o sentimento de revolta e impaciência que sinto dentro de mim, quando fico só em casa, os pais a trabalhar e a mana na escola, faz com que entre quase em transe, tenho que ter musica cantar, dançar, sentir alguma presença que me reconforte, por vezes quando preciso pensar em algo, gosto de estar só, mas não por muito tempo, mesmo nessas alturas não me sinto só pois estou comigo mesma e “ocupada” com os meus botões, mas sei que quando os meus botões se fartarem de mim posso ir ao encontro de alguém para falar, sei que posso estar acompanhada.

Não escrevo isto porque me sinta sozinha, pois nos tempos que correm até tenho estado bastante acompanhada, mas resolvi partilhar convosco um dos meu medos, posso até mesmo chamar-lhe, Fobia....

Felizmente tenho o meu mundo rodeado de gente, fora essas alturas em que por algum motivo fico por sozinha em casa, mas aí distraio-me ou até mesmo deito-me e durmo, mesmo o estar sentada a ver televisão enerva-me, estar a ver algo interessante e não ter ninguém com quem comentar na altura... mesmo se abrir um livro não me consigo concentrar pois o silencio faz-me ficar com falta de ar.


Eu sou grande apreciadora das musicas da Mafalda Veiga pois as suas letras em forma de poemas lindíssimos transmitem mensagens bastante importantes, e uma delas é a que me dá força para ultrapassar este medo, pois quando a oiço chego a conclusão que todos nós tememos o mesmo, esta musica desvenda-nos a razão do medo!..

Velho


Parado e atento à raiva do silêncio
de um relógio partido e gasto pelo tempo
estava um velho sentado no banco de um jardim
a recordar fragmentos do passado

na telefonia tocava uma velha canção
e um jovem cantor falava da solidão
que sabes tu do canto de estar só assim
só e abandonado como o velho do jardim?

o olhar triste e cansado procurando alguém
e a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
a imagem da solidão que irão viver
quando forem como tu
um velho sentado num jardim

passam os dias e sentes que és um perdedor
já não consegues saber o que tem ou não valor
o teu caminho parece estar mesmo a chegar ao fim
pra dares lugar a outro no teu banco do jardim

o olhar triste e cansado procurando alguém
e a gente passa ao seu lado a olhá-lo com desdém
sabes eu acho que todos fogem de ti pra não ver
a imagem da solidão que irão viver
quando forem como tu
um resto de tudo o que existiu
quando forem como tu
um velho sentado num jardim

E agora pergunto-vos... Já pensaram neste assunto? A solidão assusta-vos? Não seremos nós egoístas por “n dar atenção ao velho do jardim”, sendo ele o possível espelho do nosso futuro?

Beijo, Beijinho e Beijão

domingo, abril 23, 2006

Um Pedaço de Mim!

Magia, mistério, fascínio, pureza, rebeldia, emoções fortes, calma, liberdade, serenidade, nostalgia, felicidade, respeito, fantasia, amor.....são tantos os sentimentos, mais de mil e um.....aqueles que servem para descrever esta que é a minha terra natal, a terra que me fascina e surpreende a cada dia que passa, aquela que tem refugio em todas as situações, entre o mar e a serra, o sol e a chuva, o vento frio e o color, em tudo há magia e beleza....Sintra é o seu nome, o nome da maravilha que me viu nascer e crescer, que me acolheu e acolhe, que me abraça todos os dias que acordo, e que faço questão de contemplar........

Um simples correr dos estores e o abrir de uma porta ou janela fazem-me ter vontade de viver, pois a paisagem que tenho o prazer de contemplar todos os dias é algo indescritível, o aroma que todos os dias paira no ar, uma mistura do aroma verde dos pinheiros em sintonia com o salgado do mar, o som dos pássaros no pinhal que fica nas traseiras da minha casa, cantam alegremente ao som do rebentar das ondas pela manha.

Sintra tem historia, conhecida como o Monte da Lua, é a sétima maravilha do mundo, não só falando nas paisagens verdejantes, ou o mar revolto e brilhante, temos também toda uma beleza cultural, palácios e palacetes, castelos onde encontramos contos de reis e rainhas, príncipes e princesas, duques e duquesas, amor e malvadeza, lendas milenares, espalhadas em cada canto e recanto escondido!

Havia tanto para contar, para transmitir, para relembrar, tanto para falar que se torna indescritível, pois sentimentos podem-se escrever, mas nunca os poderemos compreender ser os sentir na pele!

Esta Entry teve um fundamento, um dia uma pessoa perguntou-me.. ”Sara, tens ai fotos de Sintra no computador?”, ao que de imediato pensei... “Para quê ter fotos aprisionadas no computador, se tenho tudo isso aqui ao meu alcance?!”, mas isso ficou-me no pensamento pois foi egoísta da minha parte, se o tenho aqui ao meu alcance porque não partilhar com quem não tem? A verdade é que entre fotos que encontrei nas minhas pesquisas cheguei a conclusão que em 20 anos de existência não conhecia a “Minha Sintra” em todo o seu esplendor, dai a frase acima referida.... “em cada canto e recanto escondido!”.

Alguns sítios para se visitar: (Um pequeno/grande album do que podem encontrar)

Locais ( Centro Histórico):






-Passeio pela Volta do Duche onde se encontram o Museu Anjos

Teixeira e a Fonte Mourisca

-Namorar no Parque da Liberdade e visitar o Teatro Virtual

Ecoar gritos no arco do Palácio Sete Ais







-Ouvir a lenda do “Caga Milhões” na Quinta da Redaleira

(Uma verdadeira

mansão do Conde Drácula lol)






- Comer os travesseiros da Piriquita






-E finalizar o dia em grande indo ao Teatro na Sociedade

União Sintrense =P


Locais ( Serra):

-Descobrir os segredos do Jardim da Pena e o Lago dos Cisnes








-Andar pelas muralhas do Castelo dos Mouros

-Sonhar com uma vida de Corte no Palácio da Pena

-Andar pelo Jardim do Palácio de Monserrate









-Subir á Cruz Alta

Apreciar a paisagem do alto do antigo convento da Peninha

Sentir a mística do convento dos Capuchos



Arredores:

-Capela Circular S. Mamede (Janas/Fontanelas)

-Andar de Electrico até à Praia das Maças

Pegadas dos Dinossauros (Praia Grande)


-Cabo da Roca

Fica tanto por dizer, tantos sitos mais que eu aqui poderia referir, mas se realmente tiverem a oportunidade partam á descoberta que surpresas não vão faltar.....

Foi a Entry maior que já fiz até hoje, e poderia ser a triplicar ou quadruplicar, mas serviu para deixar o cheirinho......aquele tão característico da Grande Sintra!

Beijos, Beijinhos e Beijões

sexta-feira, abril 21, 2006

Wake Up!

Realmente quando entramos numa rotina é difícil sair dela, eu que o diga, ultimamente tenho tido uma vida muito sedentária, mas disse....CHEGA!

Hoje acordei cedo, vesti o fato de treino e fui com a minha mãe e uma vizinha caminhar, (que bem que soube), eu a pensar que com o tabaco que fumo e a vida que tenho levado não me ia aguentar nas canetas, mas não, lá fui eu toda cheia de energia a levar com o solzinho matinal e o cheiro que o mar deita pela manha, andámos cerca de 7 km, uma hora e meia de caminho! (a andar consideravelmente bem)

Eu e a minha mãe partimos de minha casa as 08.30 da manha em direcção á padaria que fica junto á praia para nos encontrar-mos com a vizinha, e dai partimos as 3, fomos em direcção ás Azenhas do Mar, atravessamos o pinhal de Janas, contornamos o riacho (com pausa para um bocadinho de yoga e esticar os músculos), passamos pelas vinhas, atravessamos o pinhal das Azenhas até ao Exercito de Salvação (onde pus a minha mãe a correr...só visto!), com final na padaria, (final como quem diz pois ainda houve o caminho até casa). A verdade é que cheguei a casa cheia de energia, arrumei a cozinha, fiz o almoço, estendi roupa, almocei (pouquinho para n estragar o trabalho da manha lol), e agora aqui estou pronta para o resto de um dia de boa disposição.

A verdade é que ao chegar a casa só me veio o pensamento....JÁÁÁÁ?!, fazia-me muita falta pois nunca tive tão parada na minha vida, sempre fiz algum tipo de desporto, até houve uma altura em que tinha a vida cheia de movimento, durante 3 anos tive em simultâneo, Natação de competição regional, Escoteiros, Teatro e ainda a educação física na escola, uma quebra em toda essa energia foi a morte do artista!

Minha gente eu que sou uma preguiçosa consegui, o que quer dizer que se vocês também levarem uma vida sedentária, não fiquem parados a ver os quilos aumentar e os músculos a enferrujar, só custa o primeiro passo o resto ganham balanço e ai vamos nós!

Não podia deixar de falar disto pois sinto-me feliz por estar a fazer algo por mim, principalmente depois da entry anterior!

SOU FELIZZZZZZZZ!!!!! =D

.....Tenham um bom dia porque eu também o vou ter de certeza!.....

Beijos, Beijinhos e Beijões

quarta-feira, abril 19, 2006

Matarruanos de Mente Atrufiada!

A sociedade de hoje em dia agonia-me, sei que sempre houve racismo, decriminação, preconceitos, olhares de censura, um rol de valores hipócritas de uma sociedade em que, se não fores, branco (português), heterossexual, com uma estatura física média (dita normal),se sofreres de alguma deficiência física, se tiveres um estilo alternativo, não tiveres um emprego, uma boa casa ou dinheiro na carteira, serás sempre alvo de comentários menos próprios, seja em que situação, lugar ou em que posição na sociedade estiveres!
Onde está o respeito pelas diferenças, que ao olhos de muitos nos tomam por aberrações e nos expõem ao ridículo? Falo isto pois no outro dia sofri de um certo preconceito relativamente á minha estatura física...numa entrevista de trabalho(mais parecia uma entrevista para “Miss Hotelaria”), duvidaram das minhas capacidades de execução de uma função, a qual recebi formação durante 3 anos e passei com distinção, o que me disseram não se diz a ninguém, quanto muito poderiam dizer “não estamos interessados!!!”, isso bastava....mas não, o senhor (que nem me atrevo a dizer o nome), simplesmente fez um reparo muito impróprio em alto e bom som para quem o quisesse ouvir, é desumano como as pessoas não medem as palavras proferidas e muitas vezes não é o que se diz...mas sim o modo como e dito!
Ontem recebi um telefonema dessa mesma Empresa......interessados na prestação dos meus serviços, e dispostos a uma nova conversa...ainda ponderei se hoje la punha os pés, afinal o que me foi dito por meias palavras e alguma arrogância pelo meio, foi que eu não estaria capacitada, (mal seria se soubessem da minha vida a metade...aí é que entraria em reforma prematura! lol), mas hoje lá fui eu de manha, já não falei com o senhor anteriormente referido, mas sim com o dono do hotel (pelo que sei pai do anterior), recebeu-me com a maior das simpatias, uma pessoa super acessível com quem pude manter uma conversa muito profissional e dar-me a conhecer com maior descontracção! O senhor (filho), passou por mim de cara fechada, nem uma palavra de bom dia, apesar de eu...(quem me conhece sabe bem essa minha faceta), abri um dos meus maiores sorrisos e com toda a minha simpatia irónica disse em alto e bom som “Bom dia senhor ......... .......!”.
E com tudo isto apenas tiro uma conclusão, não perdi nada em comparecer a dita conversa, e se assim é a nossa querida sociedade e sempre continuará a ser, só nos resta irmos engolindo alguns sapos (bebe-se um copo de água que passa), deixarmos o orgulho de lado e não fugirmos dessa gentinha ignorante cheia de preconceitos e criticas tão pouco construtivas, a verdade é que fiquei com uma boa disposição tremenda ao sair do Hotel....ahhh e posso-vos dizer que a conversa correu as mil maravilhas ; p! (sabem o que isso pode querer dizer!)

O que mais me interessa é que sou amada como sou.....o resto ordinariamente falando (peço desculpa mas é o que me vem a cabeça de momento) ...que se FODA!



Beijos, Beijinhos e Beijões


PS. O gajo tem orelhas grandes, é narigudo, tem mau hálito, veste-se mal e é coxo.....loooooooool! (também tenho direito de criticar ou não?).

segunda-feira, abril 17, 2006

Frida Kahlo

Frida Kahlo foi uma artista única, para muitos é considerada a pintora do século XX. Apesar de seu pouco tempo de vida, deixou-nos obras magníficas e intrigantes.
Para se entender as suas pinturas é necessário conhecer a sua vida!

Frida Nasceu em 19
07 no México, a sua vida foi sempre marcada por grandes tragédias, aos seis anos contraiu poliomielite, o que a deixou coxa. Após ter recuperado essa deficiência, em adolescente sofreu um acidente de autocarro onde teve múltiplas fracturas e em que uma barra de ferro atravessou-a entrando pela bacia e saindo pela vagina.

Devido a este último acidente teve de se sujeitar a várias cirurgias
e ficou muito tempo presa
numa cama com todo o corpo engessado, desde o peito até aos tornozelos. As suas obras começaram nessa altura, filha de um pintor, o que nos faz crer que todo o seu talento lhe corria no sangue.

Começou a pintar durante a recuperação, mal se podia mexer, expressava-se pintando o gesso do seu corpo consoante os ângulos que lhe eram acessíveis, até ao dia em que a sua mãe pendurou um espelho por cima da sua cama, colocou-lhe uma tela em frente e Frida começou por pintar-se a si mesma! Numa frase dos excertos do seu diário que encontrei nas minhas buscas podia-se ler... "Eu pinto-me porque estou muitas vezes sozinha e porque
sou o assunto que conheço melhor".

Todos os médicos diziam que Frida nunca mais voltaria a andar, mas a força desta ainda jovem ultrapassava qualquer diagnostico (apesar de ter sido um pouco como adiar o inevitável)!

Casou-se com o famoso pintor Diego de Rivera, um mulherengo que passara por 2 casamentos falhados, a sua convivência começou após a recuperação desta “mulher furacão”, quando os seus pais viviam serias dificuldades económicas, aí Frida decidiu pedir a opinião de Diego sobre os seus quadros para assim esta “ganhar a vida”, começou uma amizade acabada em paixão, após uma convivência como “camaradas” comunistas revolucionários!

Apesar de toda esta paixão, fidelidade não era palavra que se encontra-se no dicionário do artista, e Diego continuava a dar as “suas escapadinhas”, com as modelos que pousavam para os seus quadros! Aí os quadros de Frida começaram a ser alusivos as suas angustias, vivências, e medos principalmente relativos ao seu amor pelo marido.

Nesta relação tão estranha, pois chegou um momento em que ambos viviam em casas separadas somente unidas por uma passagem aérea (tipo uma ponte de varanda a varanda), Diego de Rivera continuava com as suas amantes e Frida não se deixou ficar atrás, compensava as traições do marido com amantes de ambos os sexos. A maior dor de Frida foi a impossibilidade de ter filhos (embora tenha engravidado mais de uma vez, as sequelas do acidente impossibilitaram-na de levar uma gravidez até ao final, um trauma que se pode observar em muitos dos seus quadros. Estes reflectiam os momentos dolorosos que passava e embora fossem bastante "fortes", não eram surrealistas (ideia que eu e segundo sei muita gente tinha das suas obras mas que conclui o contrario após ler os excertos do seu diário)... "Pensaram que eu era surrealista, mas nunca fui. Nunca pintei sonhos, só pinto minha própria realidade".

Frida sofreu uma grande depressão após a separação e divórcio do marido (pois este traiu-a com a própria irmã), cortou os cabelos e encarnou em si a masculinidade da Frida “sofrida” já existente mas nunca transparecida totalmente.

Esteve na prisão devido á sua vida revolucionária, o que fez com que as mazelas escondidas do trágico acidente na adolescência voltassem piorassem pois as dores constantes sentidas em todo o corpo tornaram-se mais evidentes, os seus ossos e coluna estavam a deteriorar-se sendo-lhe aplicado um colete de metal, foi aí que o medico lhe diagnosticou uma gangrena no pé, e os dedos lhe foram cortados.

Diego de Rivera não superou o seu amor perdido e suplicou com juras eternas de amor que Frida volta-se para ele...e assim foi! 25 Anos de união passaram ao todo, e desta vez uma união de fidelidade e muito amor. Foi nessa data que Frida, (já sem pernas), contraiu uma pneumonia e morreu em 1954 de embolia pulmonar, mas no seu diário a última frase causa dúvidas e faz-me pensar que a sua morte foi uma morte feliz, pois foi a altura em que terminava todo o sofrimento de uma vida! ..."Espero alegremente a saída - e espero nunca mais voltar - Frida". Talvez Frida não suportasse mais as dores causadas pelo seu frágil corpo numa vida de tortura constante mas ao mesmo tempo de uma coragem interminável.

Há uns tempos atrás no Centro Cultural de Belém esteve em exposição as suas obras, infelizmente não tive o prazer de as poder visitar, mas fica aqui o meu testemunho e admiração não só pelas suas obras como pela força e alegria que esta mulher enfrentou toda uma vida sofrida...........

Beijos, Beijinhos e Beijões